31/07/2008

EUROS, DOLARES E BICICLETAS


Tenho pouco de economista, mas como cidadão e como consumidor tenho o direito e o dever de questionar o comportamento do mercado, sim, porque estando numa economia de mercado, o preço varia consoante a relação entre a oferta e a procura de determinado produto. No nosso caso, o produto é a bicicleta, seus componentes e todo o resto que lhe está associado. Ora bem, então a minha dúvida prende-se com o facto de a conjuntura internacional estar a favorecer o Euro em alguns aspectos. Um deles é o facto de estar mais forte em relação ao dóllar, o que faz com que para comprarmos um produto proveniente dos Estados Unidos, tenhamos de despender menos euros, o que favorece as importações. Pelo contrário, sendo o euro mais caro, as exportações saem prejudicadas, visto terem de despender mais dólares para comprar um produto. Esta é a análise que faço do mercado enquanto leigo em matéria de economia. Agora faço então a seguinte pergunta, se nós (importador) precisamos de despender menos euros para comprar uma bike fabricada nos States, tal como a specialized, cannondale, santa cruz, etc, porque será que o preço delas no mercado nacional continua a subir? Será que é a mesma questão do petróleo? Será que há por aí uma refinaria que faz elevar o preço final do produto, neste caso a bike? Será que algum de vocês que seja mais entendido nesta matéria pode esclarecer o pessoal? Acho que é legítimo eu fazer esta pergunta tendo em conta que cada euro vale um dólar e meio e as bikes lá fora não aumentaram tanto assim de preço nos últimos tempos. Há alguém que saiba explicar?

2 comentários:

Anónimo disse...

Gostaria de dizer que a análise monetária internacional está correcta... agora a explicação para que os preços continuem a subir tem vários factores... não sendo fácil a explicação...
um dos aspectos poderá ser que a inovação que há nos novos modelos das bikes é maior que a desvalorização do dólar... assim sentir-se-á na mesma a subida nos preços...

mas para ver se é devido a isso ou aos fornecedores nacionais ganharem mais dinheiro, basta comparar as subidas dos preços cá e nos EUA (tendo que assumir que se mantém constantes os custos de importação, nomeadamente transporte)

Gomes disse...

Quanto ao custo das inovações tecnológicas, isso poderá verifica-se em modelos novos, que trazem alterações significativas, mas o aumento verifica-se em toda a gama quando nalguns modelos apenas muda o grafismo e trocam-se alguns componentes sem grande relevo monetário. Claro que todos os produtos importados de qualquer País exterior à União Europeia têm de na Alfândega ser acrescidos de prestações aduaneiras mas, como sempre tiveram em anos anteriores. Se essas prestações e impostos não tiverem subido tanto nos últimos anos então sim, há que comparar com a evolução de preços no País exportador! Será esse o próximo passo que irei tomar, ver se nos States houve um aumento significativo. Obrigado pelo seu comentário.
Força no Pedal!