16/09/2014

BICICLETA RODA 29 E A GEOMETRIA DO QUADRO

Nos últimos anos temos assistido a um "mar agitado" no que diz respeito ao mercado das bicicletas de BTT. Esta agitação deve-se sobretudo aos tamanhos de roda, nomeadamente, 26, 27,5 e 29. A escolha de uma bicicleta deixou de se basear no tamanho do quadro ou no tipo de utilização, designadamente, rígida ou suspensão total. A estabilidade ainda não se verificou, as dúvidas são muitas e as indecisões ainda permanecem. Parece certo que em competição, a roda 26 passou para segundo plano. As opções de compra actualmente centram-se nos modelos 27,5 e 29. Na alta competição estas duas medidas de roda competem entre si, sobre quais apresentam melhor comportamento em cada tipo de terreno, tendo os atletas uma grande responsabilidade na imagem de fiabilidade e garantia de sucesso nos modelos e marcas que representam. Uma nova tendência surge agora com o sucesso aparente dos modelos de suspensão total com roda 27.5. Neste campo poderá influenciar a competência, destreza e técnica dos atletas. Como forma de dissipar algumas dúvidas surge uma teoria que pretende compatibilizar o tamanho de roda com a altura do atleta, ou seja, quando mais alto, maior o tamanho de roda. Esta teoria está relacionado com a escolha das bicicletas de criança consoante a idade/altura. São portanto muitas as variantes que influenciam hoje em dia a escolha de uma bicicleta mas, para além destas, outras variáveis devem ser tidas em conta. Dentro do mesmo tamanho de roda, a geometria do quadro difere de marca para marca. Se seleccionarmos um quadro 29er em tamanho M e analisarmos as diferentes marcas, constatamos que a geometria difere em medidas e em em ângulos. Isto poderá significar que não basta escolher o tamanho S, M ou L mas que a posição de condução deverá ser testada para que o comportamento e o rendimento sejam maximizados.
Analisando as principais marcas do mercado, verificam-se diferenças no tamanho do "top tube" (tubo horizontal, no comprimento do tubo do espigão do selim, nos ângulos de direcção e nos ângulos do espigão do selim.
Atentem nas especificações de geometria de algumas marcas:






Torna-se portando muito importante que seja efectuado o teste de uma bicicleta antes da compra, no sentido de garantir a geometria mais adequada a cada atleta. 
Cada vez mais a escolha de uma bicicleta se torna mais difícil. Se colocarmos ainda na equação o tipo de pneus, o diâmetro do espigão do selim, o tipo de selim, as relações da transmissão, etc, a decisão complica ainda mais, mas, com o devido acompanhamento e esclarecimento dos responsáveis das lojas da especialidade, sob as orientações das marcas/fabricantes, uma boa solução será sempre encontrada. 
Boas escolhas e boas pedaladas!

Sem comentários: